Carolina Santos analisa a possibilidade de as empresas portuguesas utilizarem assinaturas eletrónicas qualificadas através de dispositivos móveis